Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Márcio França, ex-governador de SP, é alvo de operação da Polícia
05/01/2022 15:11 em Política Brasil

O ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB) é um dos alvos de uma operação da Polícia Civil de São Paulo (PC-SP), na manhã desta quarta-feira, 5. A ação investiga supostos desvios na área da saúde.

Ao todo, 34 mandados de busca e apreensão são cumpridos nas regiões de Araçatuba, Bauru, Baixada Santista, Campinas, Presidente Prudente e São Paulo.

Entre eles estão endereços ligados ao ex-governador em São Vicente, na Baixada Santista, e na Vila Mariana, na zona sul da capital. O irmão de França, Cláudio França, também é um dos alvos.

Leia também: Doria assina decreto que obriga servidor a comprovar vacinação

Investigações

Segundo a apuração realizada pela PC-SP, membros de uma organização criminosa desviaram dos cofres públicos aproximadamente R$ 500 milhões, valores que tinham por destino a utilização em aparelhos públicos de prestadores de serviços de saúde.

Segundo o relatório da investigação, contratos de gestão firmados durante o governo Márcio França teriam beneficiado uma organização criminosa investigada, chefiada por Cleudson Garcia Montali.

Leia mais: Deputada do PT quer abolir termo ‘marido e mulher’ de cerimônias de casamentos civis

De acordo com a apuração, França teria recebido doações financeiras de Cleudson para a campanha eleitoral em que concorria ao governo de São Paulo.

“Verificou-se, ainda, que a organização criminosa também financiaria a campanha eleitoral de Márcio França à prefeitura de São Paulo no ano de 2020, fatos estes que demonstram possível envolvimento de Márcio França com a organização criminosa”, informou o relatório.

Raio X

A operação denominada “Raio X”, apura crimes de formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. As investigações são conduzidas pela Polícia Civil, Ministério Público e a Corregedoria Geral da Administração.

Conforme a Revista Oeste, a operação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública, no entanto, “as investigações tramitam sob segredo de Justiça” e, por isso, os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

Fonte: revistaoeste.com

COMENTÁRIOS